menu

23 de janeiro de 2018 às 00:05

União Europeia reafirma compromisso com a Palestina e aposta na divisão de Jerusalém

Eslovênia, Luxemburgo, Irlanda e Bélgica devem anunciar o reconhecimento da Palestina como nação

Desde que a italiana Federica Mogherini assumiu como a Alta Representante da União Europeia para Política Externa e Segurança, em 2014, ela fala como os 28 países do bloco deveriam apoiar a Palestina e forçar Israel a dividir Jerusalém.

Nesta segunda-feira (22), enquanto o vice-presidente dos EUA Mike Pence está em Israel, onde reforçou os planos de retomar o plano de paz, o presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud Abbas, se reunia com líderes da União Europeia, em Bruxelas.

Ele pediu que os europeus assumam o “papel político” deixado vago pelos EUA como mediador e assumam o processo de paz no Oriente Médio. Também insistiu para que os países europeus reconheçam o Estado da Palestina.

Durante a coletiva de imprensa, tanto Abbas quanto Mogherini reiteraram a necessidade do reconhecimento dos dois Estados, Israel e Palestina.

O líder palestino chamou a União Europeia de seu aliado internacional “mais importante”. Embora o reconhecimento da Palestina como Estado soberano pela UE não seja consenso, o Conselho de Relações Exteriores do bloco está debatendo um acordo de associação entre as partes.

Abbas também queixou-se da decisão do governo dos Estados Unidos em congelar 65 dos US$ 125 milhões que seriam destinados à Agência da ONU para os Refugiados da Palestina (UNRWA). Trump alega que os líderes palestinos não são transparentes na maneira como usam o dinheiro e questionou se ele não seria usado para patrocinar o terrorismo.

Mogherini anunciou que a UE irá fazer uma conferência internacional de doadores, dia 31 de janeiro em Bruxelas, onde espera que os estados europeus “reforcem seu apoio” à Autoridade Palestina. Ela enfatizou que os europeus estão comprometidos em “encontrar uma solução, sendo Jerusalém capital dividida pelos dois Estados, segundo diversas resoluções da ONU”.

Nas próximas semanas, a Eslovênia, Luxemburgo, Irlanda e Bélgica devem anunciar o reconhecimento da Palestina como nação, independentemente da posição da UE.Com informações de Israel National News e Times of Israel

Fonte: GospelPrime

comentários

Estúdio Ao Vivo